Star+ tem seu fim anunciado e Disney+ vai quase dobrar de tamanho; veja os números

Disney-Plus-com-Star Star+ tem seu fim anunciado e Disney+ vai quase dobrar de tamanho; veja os números

O encerramento oficial do Star+ será em 2024, marcando um momento significativo no mercado de streaming, e deve dobrar o tamanho do catálogo do Disney+, que vai absorver o conteúdo da plataforma com os dias contados. Esta decisão, anunciada pela The Walt Disney Company nesta terça-feira (12), reflete uma mudança estratégica que visa unificar e fortalecer a presença digital da empresa na América Latina.

Quando o Star+ foi anunciado em 2020, a escolha de operar como um serviço de streaming independente gerou reclamações entre o público latino, que preferia ter tudo integrado no Disney+, como já ocorre em outras regiões, como Canadá, Austrália e Europa. Nos Estados Unidos, uma situação semelhante foi observada com a coexistência do Hulu e Disney+ como plataformas separadas. A unificação dos conteúdos do Hulu e Disney+ nos Estados Unidos, anunciada pelo CEO Bob Iger, já começou, e reacendeu as esperanças na América Latina de uma fusão similar entre Star+ e Disney+.

Anúncio oficial da fusão

Agora, a integração finalmente foi oficializada e o desejo dos assinantes será atendido: a partir do segundo trimestre de 2024, Disney+ e Star+ se tornarão uma única plataforma. Essa fusão significa que o catálogo do Disney+ vai absorver o acervo do Star+, que inclui uma vasta seleção de filmes e séries, além da programação ao vivo da ESPN.

O impacto em números

Logo-Disney-Plus-e-Star-Plus Star+ tem seu fim anunciado e Disney+ vai quase dobrar de tamanho; veja os números

Atualmente, o Disney+ no Brasil oferece 442 séries, 933 filmes e 172 curtas. Em contraste, o Star+ possui 360 séries e 868 filmes, sem uma categoria de curtas-metragens. Com a fusão, o Disney+ praticamente dobrará seu conteúdo, ampliando significativamente as opções disponíveis para os assinantes.

Em termos percentuais, a lista de séries terá um aumento de 81%, enquanto a quantidade de filmes à disposição dos assinantes do Disney+ vai crescer ainda mais, 87%. Naturalmente, esses valores serão diferentes a cada semana, considerando que títulos entram e saem frequentemente. No entanto, nos dá uma boa ideia de como o Disney+ se tornará muito mais atrativo.

Além disso, a integração trará a programação ao vivo da ESPN, que conta com centenas de eventos toda semana, um número que costuma variar entre 300 e 600 eventos ao vivo, abrangendo modalidades esportivas que vão desde o futebol (com as principais ligas da Europa), passando por NFL, NBA, todos os grandes torneios de tênis e até mesmo esportes menos populares no Brasil como críquete, polo e rúgbi.

Diego Lerner, Presidente da Disney na América Latina, destacou: “Esta integração permitirá que a força inigualável de nossos conteúdos esteja disponível em um só aplicativo, proporcionando uma experiência melhorada e superior, além de um acesso simplificado aos assinantes, que estão sempre no centro de nossas estratégias.

Novo preço do Disney+ e data da fusão

Hoje, o Disney+ custa R$ 33,90 ao mês ou R$ 279,90 por ano, ou seja, um desconto equivalente a quase quatro meses no plano anual. Já o Star+, que será descontinuado, tem o preço de R$ 40,90/mês e R$ 329,90/ano. Há ainda a opção do Combo+, nome do pacote contendo Disney+ e Star+, por R$ 55,90 mensais, sem opção de assinatura anual.

Com base nesses valores, e considerando que o preço da Netflix em seu plano mais caro no Brasil é o mesmo do Combo+, faz sentido pensar que a mensalidade não ficará muito diferente disso: R$ 55,90.

Em 2024, a América Latina também deve contar com a opção de um plano mais barato do Disney+, com veiculação de anúncios comerciais. Esse plano já está disponível nos Estados Unidos, Canadá e Europa. Em outubro, a Disney revelou que mais de 50% dos novos assinantes estão optando por essa modalidade.

Embora detalhes como o novo preço da assinatura e a data exata da unificação ainda não tenham sido divulgados, espera-se que a fusão traga um aumento significativo na oferta de conteúdo do Disney+, tornando-o um dos principais players no mercado de streaming na América Latina, incluindo o Brasil.

Isso também dará fim a algumas situações estranhas, como séries e filmes lançados nos dois streamings ao mesmo tempo, conteúdo da National Geographic separado, títulos da Marvel Television que só existem no Star+, Os Simpsons com duas temporadas no Disney+ e todas no Star+, além, é claro, do pagamento de duas assinaturas para ter acesso aos conteúdos dos estúdios de uma mesma empresa.

Atualizado em 12/12/2023

Foto do autor

Leo Carvalho

Leo Carvalho, jornalista de formação e nerd de coração, é um observador atento das tendências do entretenimento, em especial filmes e séries da Marvel e Star Wars. Sua formação acadêmica em jornalismo e entusiasmo de fã lhe permitem escrever textos com insights, análises detalhadas e olhar crítico.

2 comentários em “Star+ tem seu fim anunciado e Disney+ vai quase dobrar de tamanho; veja os números”

  1. Finalmente, já era pra ter vindo pro Brasil dessa forma, isso de dividir conteúdo adulto de infantil pode ser gerenciado pelo controle parental. Tem q aproveitar e melhorar a segurança, a interface da plataforma e principalmente criar uma aba de calendário, seja pra novos conteúdos ou para saída deles.

    Responder

Deixe um comentário