‘Vamos acabar com a Disney na África’ – E assim surgiu Iwájú

Iwaju-DisneyPlus 'Vamos acabar com a Disney na África' - E assim surgiu Iwájú

A indústria de animação testemunhou o nascimento de uma colaboração bastante inusitada com o lançamento de Iwájú, uma série animada da Disney que promete revolucionar a representação africana no mundo.

A parceria inesperada entre Disney e Kugali

Em 2019, a Kugali Media, uma companhia de entretenimento Pan-Africana, iniciou uma campanha de financiamento coletivo para publicar uma antologia de graphic novels que destacasse criadores africanos.

O sucesso dessa campanha e a visibilidade alcançada resultaram em uma entrevista à BBC, onde Hamid Ibrahim, diretor criativo da Kugali, proferiu a memorável frase: Vamos acabar com a Disney na África.

Embora muitos tenham interpretado a declaração como uma bravata, Ibrahim esclareceu em uma conversa com o Mashable: “Muitas pessoas pensaram que eu estava brincando, mas eu estava falando bastante sério”.

A audácia da Kugali não passou despercebida pela Disney, que, na época, buscava expandir seu leque de narrativas culturais. Jennifer Lee, diretora criativa da Walt Disney Animation Studios, alcançou os fundadores da Kugali através do LinkedIn, desencadeando uma série de eventos que levariam à criação de Iwájú.

Iwájú se destaca por ser ambientada em uma versão futurista de Lagos, Nigéria, e contar a história de Tola Martins, uma jovem herdeira nigeriana, e seu amigo Kole, um gênio tecnológico autodidata. Acompanhados pelo lagarto de estimação de Tola, Otin, um robô protetor inventado pelo pai de Tola, eles embarcam em uma aventura que desafia as disparidades sociais e explora novas dimensões da amizade.

Inovação e representatividade

A série não está chamando atenção apenas por sua parceria inovadora, mas também pela forma como incorpora elementos da vida nigeriana cotidiana em um contexto de ficção científica, trazendo uma autenticidade rara para a tela.

Toluwalakin “Tolu” Olowofoyeku, CTO da Kugali, compartilhou a inspiração por trás de uma das primeiras interações de Tola na cidade, envolvendo drones comerciantes aéreos, refletindo a vibrante e única experiência de compra no tráfego de Lagos.

“Acho que o maior shopping do mundo é o trânsito de Lagos. Dá até para comprar um animal de estimação! Você está dirigindo e um cara está correndo ao lado do seu carro, segurando um cachorro. Vocês podem combinar um preço e fazer a transação enquanto se deslocam.”

A decisão de fazer de Otin um lagarto agama, um animal comum na Nigéria, exemplifica a atenção aos detalhes e o compromisso da equipe em trazer elementos reconhecíveis para a audiência africana, ao mesmo tempo em que introduz esses aspectos culturais a um público global.

A equipe de Iwájú é tão diversificada quanto sua representação, com artistas de várias partes da África e da Europa, incluindo Uganda, Quênia, Sudão e Nigéria, trabalhando ao lado de animadores e produtores da Disney. Essa colaboração permitiu uma troca de experiências e técnicas, enriquecendo o processo criativo.

A estreia de Iwájú marca não apenas um avanço significativo na representação africana na mídia global, mas também destaca o poder das parcerias internacionais em trazer novas vozes e perspectivas para o primeiro plano.

O lançamento no Disney+ ocorreu hoje (28) em diversos países, e os espectadores brasileiros podem aguardar o lançamento em 10 de abril de 2024.

Foto do autor

Leo Carvalho

Leo Carvalho, jornalista de formação e nerd de coração, é um observador atento das tendências do entretenimento, em especial filmes e séries da Marvel e Star Wars. Sua formação acadêmica em jornalismo e entusiasmo de fã lhe permitem escrever textos com insights, análises detalhadas e olhar crítico.

Deixe um comentário