Preço do Disney+ já aparece em Reais: R$ 28,99/mês ou R$ 289,99/ano

Atualizado em 24/10/2020

Alguns usuários já haviam relatado que o preço da assinatura do Disney+ estava aparecendo em Reais ao tentar criar uma conta nos Estados Unidos com dados do Brasil.

O valor que aparece no app é de R$ 28,90 por mês ou R$ 294,90 por ano, como pode ser observado na captura de tela abaixo. Esse valor está um pouco diferente do valor mostrado mais abaixo, retirado da página de detalhes do app na Play Store. A diferença pode ser em virtude da variação do câmbio do dia.

App-Disney-Plus-Android-473x1024 Preço do Disney+ já aparece em Reais: R$ 28,99/mês ou R$ 289,99/ano

Curiosamente o app oficial do Disney+ na Play Store (Android) foi atualizado em 03/08/2020, ou seja, na última segunda-feira, e ao clicar na opção “Sobre esse app” para visualizar toda a sua descrição, é possível constatar que lá também já constam valores em reais:
Compras no app: R$ 28,99 – R$ 289,99

App-Disney-Plus-Play-Store-531x1024 Preço do Disney+ já aparece em Reais: R$ 28,99/mês ou R$ 289,99/ano

Como dito, esse valor pode ser apenas uma referência em dólar e estaria flutuando de acordo com a variação da cotação da moeda norte-americana no dia. O preço no Brasil e demais países da América Latina não foi oficialmente divulgado. Vamos acompanhar os próximos comunicados para saber se esse valor é apenas uma referência ou um indicativo que o preço no Brasil já está realmente definido.

Preço do Disney+ nos outros países

Como já informamos nas nossa seção de Perguntas mais Frequentes, nos Estados Unidos, a assinatura mensal fixa do Disney+ tem o preço de US$ 6,99 ao mês. Há a opção pelo plano anual com desconto, que fica por US$ 69,99 por ano (US$ 5,83 / mês).

No Canadá, a assinatura do Disney+ custa CAD 8,99 por mês (ou CAD 89,99 por ano). No Reino Unido o preço é de £5,99 (ou £ 59,99 por ano). Nos demais países da Europa onde o serviço já está disponível, o custo é de € 6,99 por mês (ou € 69,99 por ano). Os australianos pagam $ 8,99 por mês (ou $ 89,99 por ano) em dólares australianos, e o custo da assinatura na Nova Zelândia é de $ 9,99 por mês (ou US$ 99,99 por ano) na moeda local (dólar neozelandês).

Na Índia, ao contrário dos demais países, o Disney Plus foi disponibilizado como parte de um pacote com outro serviço chamado Hotstar. O custo para o consumidor na Índia é o menor de todos os outros países, em torno de US$ 19,5 por ano! Por outro lado, os indianos não terão conteúdo 4K.

No Japão, último país a receber o Disney Plus, o preço é de US$ 6,49 (JPY 700) .

Portugal, Bélgica, Finlândia, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Suécia e Dinamarca entram no Disney Plus em 15 de setembro e os valores serão:
Portugal, Bélgica, Finlândia, Islândia e Luxemburgo: € 6,99 (R$ 41,09) por mês ou € 69,99 (R$ 411,49) por ano
Noruega: NOK 69 (R$ 37,78) mensalmente ou NOK 689 (R$ 377,21) anualmente
Suécia: SEK 69 (R$ 38,61) mensalmente ou SEK 689 (R$ 385,47) anualmente
Dinamarca: DKK 59 (R$ 46,53) mensalmente ou DKK 589 (R$ 464,55) anualmente

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Meu Deus, o preço na Índia 😳

  2. O preço mais caro é o do Brasil, e olhe que eu acho que vai ser ainda mais caro. 70% da população brasileira vive com renda de até dois salários. O preço da assinatura pesa. Brasileiro só levando fumo. Vai ser um fracasso no Brasil. O Netflix é mais barato e tem um catálogo muito superior. Na Disney Plus só valem a pena as séries do universo Star WARS: Mandaloriano e Clone Wars.

    1. ThunderBolt, vale lembrar que esse preço ainda não foi confirmado pela Disney e também que o plano Netflix mais barato tem limitações no número de telas simultâneas e na qualidade de vídeo. No Disney+ o plano é um só e dá direito a 4 telas simultâneas, 7 perfis diferentes e 4K HDR, quando disponível. O plano equivalente na Netflix custa R$ 45,90.

    • Bruna Ribeiro em 22/08/2020 às 07:58
    • Responder

    Bem que podia ser R$9,90 aqui!

  3. O preço do Prime Vídeo ainda é imbatível, dificilmente o Disney+ chegue nesse valor. Apesar de achar os R$28,99 um preço atrativo, se tivermos realmente o 4k no plano, a tendência é ficar pra trás, assim como a Netflix está ficando.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.