Cúpula da NFL está furiosa após anúncio da Disney e tenta impedir seus planos

Roger-Goodell-NFL Cúpula da NFL está furiosa após anúncio da Disney e tenta impedir seus planos

Os principais executivos da NFL, incluindo Roger Goodell e o diretor de negócios Brian Rolapp, estão furiosos por terem sido informados de última hora sobre a nova joint venture de streaming esportivo anunciada pela The Walt Disney Company, Fox Corp. e Warner Bros. Discovery.

Descontentamento e surpresa

O tamanho da irritação? De acordo com John Ourand, guru dos esportes nos EUA em um artigo para a Puck News, eles fizeram com que seus advogados examinassem os contratos de TV da liga com a ESPN e a Fox para ver se havia alguma maneira de impedir a iniciativa. Até o momento, “não encontraram nenhuma linguagem legal útil que permitiria fazer isso“.

Segundo relatos, o presidente da ESPN, Jimmy Pitaro, informou Goodell e Rolapp apenas algumas horas antes do novo serviço de streaming ser anunciado ao público na semana passada. Os executivos da NFL são descritos por Ourand como se sentindo “pegos de surpresa” e “deixados no escuro”.

A Joint Venture

Disney, Fox e Warner Bros. anunciaram em 6 de fevereiro um plano para agrupar seus canais esportivos em um serviço de streaming, com detalhes, incluindo o preço e a data de lançamento, ainda pendentes.

Cada uma das empresas terá um terço do novo empreendimento e licenciará seu conteúdo esportivo para ele de forma não exclusiva. O serviço contará com uma nova marca e uma equipe de gestão independente.

Concentração significativa de esportes

A concentração de esportes populares sob um mesmo teto promete ser significativa. Entre eles, ESPN e Warner possuem a maioria dos direitos da NHL e da NBA, enquanto Fox, Warner e ESPN controlam atualmente a maior parte dos direitos do Major League Baseball.

A National Football League está sendo paga em US$ 110 bilhões até 2033 para licenciar direitos de TV para jogos ao vivo para Disney, Fox, NBCUniversal, Paramount Global e Amazon, entre outras empresas de mídia e tecnologia.

No entanto, a NFL, que controla uma enorme parcela da participação total de audiência, superou o status de mero parceiro de programação. Foi recentemente relatado que a NFL tem discutido a compra de uma participação acionária na ESPN, por exemplo.

A criação desta joint venture sem a inclusão ou a consulta prévia da NFL ressalta a complexidade e a tensão nas relações entre as ligas esportivas e os conglomerados de mídia.

À medida que o panorama dos direitos de transmissão esportiva continua evoluindo, com o streaming ganhando cada vez mais espaço, os acordos e as estratégias adotadas por essas entidades serão cruciais para moldar o futuro do consumo de esportes ao vivo. A NFL, com sua enorme influência e audiência, sem dúvida, terá um papel significativo nessa transformação.

Foto do autor

Leo Carvalho

Leo Carvalho, jornalista de formação e nerd de coração, é um observador atento das tendências do entretenimento, em especial filmes e séries da Marvel e Star Wars. Sua formação acadêmica em jornalismo e entusiasmo de fã lhe permitem escrever textos com insights, análises detalhadas e olhar crítico.

Deixe um comentário