Chefe de Outlander aponta erros de história gritantes na série

Outlander-Claire-e-Jamie Chefe de Outlander aponta erros de história gritantes na série

A aclamada série Outlander, conhecida por entrelaçar romance, história e viagens no tempo, tem sido uma fonte de fascínio para muitos. No entanto, o produtor executivo Matthew B. Roberts recentemente revelou que a série não está imune a erros históricos significativos, especialmente ao retratar cenários americanos.

Roberts destacou as dificuldades encontradas ao tentar manter a precisão histórica fora da Escócia, especialmente ao filmar cenas destinadas a representar a América.

“Você pode jogar uma pedra e acertar um castelo na Escócia, mas não pode jogar uma pedra e encontrar uma cidade de tábuas”, explicou ele no Podcast Oficial de Outlander. Esta diferença de cenário apresentou um desafio único para a equipe, muitas vezes resultando em imprecisões notáveis ao longo da série.

A tarefa de mostrar os personagens viajando pela costa leste da América, mantendo-se fiel aos ambientes históricos, foi particularmente desafiadora. Roberts mencionou um ponto positivo, entretanto: a antiga conexão geológica entre o leste dos Estados Unidos e o Reino Unido, que compartilham cadeias de montanhas semelhantes. No entanto, essa semelhança geográfica não foi suficiente para cobrir todas as discrepâncias históricas apresentadas.

Alguns equívocos históricos

Jamie-tarta Chefe de Outlander aponta erros de história gritantes na série

Um dos erros mais notáveis mencionados por Roberts diz respeito às cores dos tartãs (as estampas quadriculadas) de Jamie Fraser (Sam Heughan).

Jamie é parte do clã Fraser de Lovat das Terras Altas, conhecido por seus tartãs em cores vivas de vermelho e verde, a série mostra os personagens deste clã usando tartãs em tons de cinza e azul, o que não condiz com a realidade.

Além disso, os fãs de Outlander podem se sentir desapontados ao descobrir que as famosas pedras de Craigh Na Dun, fundamentais para muitos momentos-chave da série, na verdade, não existem.

mbora a Escócia tenha pedras semelhantes, nenhuma delas está arranjada como as de Craigh Na Dun, e claro, elas não possuem poderes de viagem no tempo como as pedras na série.

Apesar desses deslizes, Outlander continua a ser uma série amada por muitos, graças à sua capacidade de misturar diferentes gêneros de forma envolvente.

Com a segunda metade da sétima temporada prevista para retornar este ano no Star+, os fãs ainda têm muito pelo que esperar, mesmo com as imprecisões históricas admitidas por seus criadores.

Foto do autor

Leo Carvalho

Leo Carvalho, jornalista de formação e nerd de coração, é um observador atento das tendências do entretenimento, em especial filmes e séries da Marvel e Star Wars. Sua formação acadêmica em jornalismo e entusiasmo de fã lhe permitem escrever textos com insights, análises detalhadas e olhar crítico.

Deixe um comentário