Atores entram oficialmente em greve nos Estados Unidos

Greve-dos-atores Atores entram oficialmente em greve nos Estados Unidos

Após meses de negociações, o Sindicato dos Atores (Screen Actors Guild) anunciou que começará oficialmente a greve esta noite, um minuto após a meia-noite, e iniciará os piquetes em todos os grandes estúdios. A diretoria nacional do SAG-AFTRA votou unanimemente hoje para lançar a primeira grande greve desde 1980, juntando-se aos roteiristas da Associação de Escritores da América (Writers Guild Of America), que começou a greve em maio.

A presidente do SAG-AFTRA, Fran Drescher, e o diretor executivo nacional e principal negociador, Duncan Crabtree-Ireland, anunciaram a greve em uma coletiva de imprensa na sede nacional do sindicato em Los Angeles.

Com os atores em greve, isso significa que qualquer artista que seja membro do SAG e esteja atualmente trabalhando em qualquer filme ou programa em produção também entrará em greve a partir de hoje à noite. Isso também significa que os atores não irão promover suas próximas séries ou filmes, como comparecer a eventos, conceder entrevistas ou qualquer outro tipo de divulgação.

Alguns dos filmes que serão afetados incluem Deadpool 3, da Marvel Studios, que está sendo filmado no Reino Unido, e o futuro filme em live-action da Disney, Lilo & Stitch, que está sendo filmado no Havaí. Os estúdios têm se preparado para as greves, filmando o máximo possível de filmes, séries e materiais promocionais antes do prazo, originalmente estabelecido para o mês passado, mas que foi prorrogado para o feriado de 4 de julho.

Os atores e roteiristas estão em greve por várias questões, incluindo o uso de inteligência artificial (IA) e também os royalties das plataformas de streaming, que são drasticamente menores do que os da televisão tradicional. A AMPTP, que inclui a Disney, também emitiu um comunicado sobre a greve. Confira na íntegra:

“As empresas membros da AMPTP entraram nas negociações com o SAG-AFTRA com o objetivo de estabelecer um novo contrato mutuamente benéfico. A AMPTP apresentou uma proposta que oferecia aumentos históricos nos pagamentos e royalties, limites substancialmente maiores para contribuições de pensão e saúde, proteções para audições, períodos de opção encurtados para séries, além de uma proposta inovadora de IA que protege as representações digitais dos atores membros do SAG-AFTRA. Uma greve certamente não é o resultado que esperávamos, já que os estúdios não podem operar sem os artistas que dão vida às nossas séries de TV e filmes. Infelizmente, o sindicato optou por um caminho que levará a dificuldades financeiras para inúmeras pessoas que dependem da indústria.”

Aqui estão alguns dos elementos da oferta dos produtores que o SAG-AFTRA optou por rejeitar em favor da greve:

  • O maior aumento percentual nos salários mínimos em 35 anos.
  • Aumento de 76% nos royalties estrangeiros de alto orçamento para serviços de streaming.
  • Aumentos substanciais nos limites de contribuição para pensão e saúde.
  • Proposta inovadora de IA que protege as representações digitais dos atores, incluindo a exigência de consentimento para a criação e uso de réplicas digitais ou alterações digitais de uma atuação.
  • Aumento de 58% nos salários de artistas de papel principal (participação especial) em programas de alto orçamento para serviços de streaming.
  • Restrição das solicitações de autoaudição, incluindo número de páginas, tempo e requisitos técnicos. Opções para audições virtuais ou presenciais.
  • Aumento de 11% no pagamento no primeiro ano para atores de apoio, dublês e dublês de foto, um aumento adicional de 17% para atores de apoio que precisam fazer extenso trabalho de estilização por conta própria, e um aumento adicional de 62% para dublês que precisam memorizar e entregar falas durante um ensaio e dublês de foto que precisam memorizar e entregar falas em cena.
  • Pela primeira vez, royalties fixos para coordenadores de dublês em programas de TV e serviços de streaming de alto orçamento.
  • Períodos de opção encurtados para atores regulares de séries que ganham menos de US$ 65.000 por episódio em uma série de meia hora ou menos de US$ 70.000 por episódio em uma série de uma hora.
  • Bailarinos agora receberão a tarifa de gravação nos dias de ensaio.
  • Pagamentos adicionais de 25% para bailarinos que precisam cantar em cena durante a fotografia principal e para cantores que precisam dançar em cena.
  • Cláusula inédita que estabelece tarifas, termos e condições para programas de alto orçamento feitos para serviços de vídeo sob demanda com anúncios.
  • Consultoria de cabelo e maquiagem para artistas de todas as tonalidades de pele e texturas de cabelo.
  • Limites para o valor de compensação inicial que pode ser antecipado ou pago adiantado como royalties.

Foto do autor

Leo Carvalho

Leo Carvalho, jornalista de formação e nerd de coração, é um observador atento das tendências do entretenimento, em especial filmes e séries da Marvel e Star Wars. Sua formação acadêmica em jornalismo e entusiasmo de fã lhe permitem escrever textos com insights, análises detalhadas e olhar crítico.

Deixe um comentário